Desvendando os mistérios do blog

blog

Unmasking the mysteries of the blog

Bom, “de cara” vou te revelar que o conteúdo sobre o assunto é longo, nada complexo, mas julgo que valerá a pena para você o esforço da leitura, já que quer ser blogueiro e ter um bom blog.

O homem costumava em décadas remotas registrar os fatos cotidianos de sua vida e daqueles que faziam parte dela em cadernos denominados de diários. Neste tipo de registro ele confidenciava seus pensamentos, desejos proibidos, fatos simples ou inusitados que compunham sua história de vida.

A sociedade em sua marcha evolutiva provocou-lhe mudanças no sentido de externar essas linhas até então secretas. O sigilo dos pensamentos e conhecimentos foi aos poucos sendo quebrado e eles foram inicialmente compor livros, e muito depois vieram integrar o elemento que hoje conhecemos popularmente por blog.

Da premente necessidade de informação associada à facilidade de acesso, nossa presença na internet (web) se tornou fato diário. Ser blogueiro, blogueira, ter um blog, ter presença na web é estar em contato com o mundo através do universo virtual.

Compartilhar sentimentos, emoções, conhecimentos, informações, escritos, textos e projetos pessoais e profissionais através do blog foi uma ação que passou a aproximar as pessoas num sentido positivo. Passamos a conhecer muito mais o pensamento dos outros, das pessoas conhecidas e particularmente as desconhecidas, fato que de certa maneira trouxe-nos ganho de conhecimento e engrandecimento pessoal e psicológico.

Quando eu entrei no universo blog ou blogsfera, eu nem sabia exatamente o que era um blog e como se usava. Embora eu tenha começado a escrever com seriedade e constância em 1999 somente tive meu primeiro blog em 2008. Meu “primeiro filho” tinha o meu nome e durou por quase dois anos. Nasceu fraco em termos de audiência e morreu mais fraco ainda (rs, rs). Eu estava entrando no “mundo blog” e desconhecia praticamente tudo. Um erro de iniciante.

Posteriormente tive outro blog chamado NossosLivrosFree que também não apresentou os resultados esperados, mas que me permitiu conhecer alguma coisa de software e de como funcionava um blog, a blogsfera e as redes sociais que foram crescendo ao longo dos anos.

Somente quando realmente mergulhei no mundo do marketing de conteúdo é que passei a ter resultados mais positivos e promissores, entretanto nada que chegasse próximo aos meus “grandes anseios”.

Vou fazer uma breve analogia entre o futebol e o mundo blog para que você entenda a natureza que envolve esse universo que pretende ingressar ou já ingressou. No futebol existem muitos jogadores como o Messi ou como o Neymar? Na verdade são pouquíssimos os jogadores de futebol que se tornam famosos, ricos e estáveis, a maioria recebe salários desprezíveis ou “morre” num time de várzea. Em nada difere a blogsfera ou mundo blog desse breve contexto. Poucos são e serão aqueles que ganharão algum dinheiro considerável com seu blog e se tornarão famosos – ricos nenhum – no mundo virtual.

Há que se fazer uma escolha quando se decide ter um blog, ou melhor, ser um blogueiro. Tanto em uma opção, como em outra, você poderá seguir um caminho de blogueiro amador ou blogueiro profissional.

Terá a opção de ser um blogueiro com o objetivo de ter ascensão financeira, e consequentemente ter prestígio; logo terá que mergulhar muito profundamente no mundo blog, arregaçar as mangas, colher frutos amargos, muitos amargos e trabalhar muito, percorrendo os caminhos certos; ou optar em ter um blog sem o objetivo de monetização, sem fins lucrativos, no qual partilhará seus conteúdos tão somente com a finalidade de agregar valor e engrandecer a vida de outras pessoas com suas experiências e conhecimentos.

Se você quer se tornar um blogueiro, ou já é um, pense bem em que caminho optará seguir. Tanto como amador ou como profissional, enfrentará dificuldades, grandes e pequenas, pensará em desistir várias vezes em vista que não alcançará resultados em curto e médio prazo, pensará que só erra e não acerta, pensará que gasta dinheiro em vão com cursos e não obtém resultados positivos e por aí vai.

Posso dar um conselho sincero e realista de alguém que muito sofreu e acabou encontrando o “caminho certo” para seu blog?

Se você deseja ser um blogueiro e realmente passar a obter resultados positivos, abandonar o fato de colecionar fracassos, então comece por mudar seu pensamento, como eu mudei o meu. Sempre tive tendência de ajudar as pessoas necessitadas, aquelas com menos recursos financeiros ou com danos e fraquezas sentimentais e emocionais. Esse caráter pessoal eu confirmei realmente foi com a criação do blog Sentimentos&Letras, que é voltado para a qualidade de vida, relacionamentos, saúde e bem-estar, e no blog Cropoesias, focado em poesias, crônicas e contos.

Através desses blogs que criei, passei a atingir o coração daqueles que precisam de ajuda, de apoio, de atenção, de uma palavra amiga ou de uma solução ou paliativo para um problema que lhe causa dor, desconforto e sofrimento. Esses são meus objetivos como blogueiro. São blogs não monetizados, logo não busco nenhum ganho financeiro com eles, até porque tenho como me sustentar sem depender deles. Sou feliz e quero tornar as pessoas felizes dentro do que está ao meu alcance.

 

 

 

 

 

 

 

Depois de ter decidido qual o caminho que deseja seguir, de ter conhecido como funciona todo ou parte do mecanismo que está por trás daquilo que você vê de tão bonito quando visita um blog, aí sim enverede no mundo blog para atingir sua realização pessoal ou profissional.

Bom, você deseja criar um blog para postar seus conteúdos, pensamentos, ideias, etc. Porém como e por onde começar? – é a pergunta que todo blogueiro iniciante na blogosfera faz. O início dessa longa jornada começa com a sua opção de escolher o assunto ou conjunto de assuntos que vai abordar, que vai publicar em seu blog. As pessoas que se interessam pelo assunto escolhido são o seu público-alvo, ou seja, o seu nicho.

Desde o início trate seu nicho com carinho, com atenção e produza conteúdos que realmente ajudem-no a agregar conhecimentos, valores psicossociais e a solucionar seus problemas e as suas dores. Escolha feita, parta para o blog, para a ferramenta de comunicação entre você e seu público-alvo (nicho).

Nem sempre temos recursos para iniciar com um blog profissional – que é o ideal se quer ser levado a sério e não sofrer com possíveis mudanças de terceiros sobre seu projeto de ser blogueiro – então comece do mais simples e vá para o mais complexo. Mas tudo com calma e conhecimento, sem pressa ou atropelos

Sugiro que você inicie criando um blog nas plataformas gratuitas, como o Blogger, que foi por onde eu comecei. Adquiri uma certa experiência nela, que foi muito importante, e depois migrei para a plataforma do WordPress, onde me encontro até hoje. Na plataforma do WordPress criei os meus dois blogs os quais tem caráter profissional, com domínios registrados e pagos – no Registro.br –, bem como alocados numa hospedagem de alta qualidade. Optei inicialmente pela monetização, porém desisti em função que me “encontrar” na postagem sem fins lucrativos, cujos conteúdos tem o fim exclusivo de ajudar as pessoas e a partilhar meus conhecimentos e experiências.

Leia, estude, pesquise, compre todos os cursos que aparecerem na sua frente, aprenda tudo que lhe for possível sobre o funcionamento de um blog.

ERRADO, NÃO FAÇA ISSO. Esse é o caminho mais errado e mais tortuoso que se pode percorrer no mundo blog. Você vai ficar louco e frustrado com tantas informações e gastos desnecessários que não dará conta de assimilá-las em tempo hábil. Efeito: logo pensará em desistir de sua empreitada de ser blogueiro e de ter um blog.

Se realmente quer ser blogueiro e crescer nesse campo, aconselho-o que siga “o caminho das pedras”. E qual seria esse caminho?

Procure conhecer e entender os mecanismos que regem o funcionamento de um blog, bem como mundo blog. Não vá comprando cursos “à torta e à direita”, gastando seu precioso dinheiro. Vão “chover” sugestões convincentes e impressionantes de cursos sobre blog para você comprar e estudar, e muitos são pretensiosos em suas apresentações, porém no teor são verdadeiramente vazios e o suporte ao aluno é muito falho. Sofri muito com isso, por que comprei vários cursos e perdi muito dinheiro em vista que não tive indicações seguras, não pesquisei e não me informei o suficiente.

Antes de gastar seu precioso dinheiro e tempo, muito cuidado e atenção na hora de comprar um curso online sobre criar e operacionalizar um blog. Até os bons blogueiros “empurrarão” seus produtos para que você os compre, afinal eles vivem disso ou querem ganhar dinheiro com suas “necessidades” de conhecimento e informação. Analise calmamente o que realmente é fundamental do que é supérfluo em termos de informação e conhecimento. Em caso de dúvidas, pesquise, pergunte a quem sabe, mas só compre por último. VALORIZE SEU DINHEIRO.

Boas e pacientes pesquisas na web lhe ajudarão nessa empreitada. Visite outros blogs, veja como eles funcionam, assista vídeos sobre o assunto no Youtube, etc. Eu comprei cursos online que depois verifiquei que de nada me serviram ou que existia a mesma informação de forma gratuita na internet. Prejuízo!

O “caminho das pedras” significa ter boas e seguras indicações sobre cursos a adquirir, dicas e macetes que realmente vão agregar valor a sua intenção de ter um blog. Embora você encontre muita informação gratuita na internet de como criar um blog e como operá-lo, infelizmente, essa gama de informação não lhe será suficiente. Será necessário comprar alguns cursos que realmente lhe serão importantes, mas tenha cautela, pesquise, pesquise mais, veja as ofertas dos concorrentes, para então sim comprar.

Depois de “quebrar a cara” aprendi que não se deve ficar ansioso e ser precipitado em saber e dominar as peculiaridades do funcionamento de um blog. Não se assuste com os termos que vai encontrar neste conteúdo e em outras fontes, porque ao longo do tempo você entendê-los aos poucos. Qualquer dúvida opte por procurar no buscador Google que ele lhe explicará a contento. Eu faço isso sempre e funciona.

A hospedagem de seu blog é muito importante porque é onde seu blog vai ficar abrigado. Ela é a casa onde seu blog vai residir, onde as pessoas através da URL (link, endereço virtual) de seu domínio vão encontrá-lo, onde elas vão ter acesso aos conteúdos que você vai produzir.

Uma hospedagem de alta qualidade irá acabar com vários e vários problemas que você poderá encontrar, como “queda” de seu blog (ele ficar fora do ar por estar numa plataforma gratuita), invasão de hackers, perda de dados e configuração, etc.

Procure uma hospedagem de alta qualidade na qual você tenha um suporte de qualidade e cujas ações sejam eficazes. Certamente o preço é um fator que pesa muito, mas você sentirá na pele se optar por algo mais barato e menos eficaz. E o barato no mundo blog na maioria das vezes sai muito mais caro e repleto de aborrecimentos do que você pode imaginar. Fui pelo mais barato e só colecionei dores de cabeça e gastos inúteis.

Com o teor apresentado acima você conseguirá chegar até onde cheguei, com facilidades em alguns pontos e dificuldades em outros, mas o que vou revelar neste conteúdo é fruto de muita pesquisa, de quebrar a cara e com os erros aprender. Essas informações que vou revelar são informações que nenhum blogueiro ou expert me passou ou divulgou. Ah, por que estou fazendo isso? Por que não acho justo que você quebre a cara como eu quebrei. Não vou ganhar nada com isso, mas ficarei com a consciência tranquila que ajudei você – meu próximo – da melhor forma possível. Certamente você não encontrará em outro lugar o que vou apresentar aqui, porque são os “mistérios” que os blogueiros não revelam em temor à concorrência. Como eu não a temo e nem estou preocupada com ela, vou revelar aquilo que você não encontrará em nenhum lugar por aí. Você pode achar que não é grande coisa, mas vale a minha intenção.

Aqui cito algumas estratégias que certamente você não encontrará em outro lugar, a não ser que após a minha publicação algum blogueiro visitou o meu blog e “copiou e colou” no seu. Caso isso tenha acontecido, não me importo em vista que desejo que todos tenham boas chances de otimizar o funcionamento de seu (s) blog(s) e sintam-se felizes com o que publicam.

Vou revelar: Como faço para manter o blog em perfeito funcionamento (rotina de blogueiro), como estabelecer um sistema regular de postagem (calendário editorial do blog), como criar bons conteúdos (texto, imagens, etc), como divulgar seus conteúdos nas redes sociais (quais redes sociais eu uso), como adquirir a simpatia dos visitantes (relacionamento com o público-alvo e público geral), e outras informações que julgo importantes.

Benefícios que este assunto pode proporcionar ao leitor

Ter um blog, ou seja, administrar um blog não é coisa fácil. Demanda tempo, dedicação, pesquisa, estudo e até um pequeno investimento de sua parte. Para mim não é fácil administrar os dois blogs que tenho. Tenho que desenvolver o mesmo trabalho, tanto para um, como para outro.

A seguir apresento um roteiro de ações e ideias, não necessariamente em ordem cronológica, que fui desenvolvendo pela necessidade que surgia durante o trabalho de blogueiro. Seriam elas:

Objetivos a atingir e foco;

Organização;

Criação de conteúdo e imagens;

Criação de ferramentas necessárias ao gerenciamento do blog;

Divulgação de conteúdo e do blog;

Nas abordagens deste post apresento alguns modelos de planilhas que criei em função das necessidades que foram surgindo. Basta clicar na indicação em negrito e baixá-las. Julgo que elas lhe ajudarão e muito, como me ajudaram.

Caso você tenha alguma dúvida do que eu apresentar aqui, deixe-a nos comentários que responderei o mais rápido possível.

Objetivos a atingir e foco – Nesse tópico quero salientar qual ou quais são os seus objetivos em ter um blog. Você quer ter um ou mais blogs? E para quê? É fundamental definir qual ou quais são os seus objetivos antes de assumir a empreitada de ser blogueiro.

Ela parece fácil… sim, fácil de não dar certo. Você deve ter pensado: “Mas que cara pessimista!”. Engano seu. Existem muitos aspectos na blogosfera que nos levam a desistir, como repetidos fracassos e gastos desnecessários, apesar de nosso emprenho e dedicação. Eu digo isso porque passei por algumas situações que quase me fizeram desistir – e não foram poucas.

Defina o que pretende fazer. Ser blogueiro com fins de monetização ou sem fins lucrativos (altruísmo)? Essa escolha inicial vai definir caminhos semelhantes em natureza, mas muito diferentes na prática. Nem preciso citar aqui, que se você seguir o caminho da monetização terá que se emprenhar muito, na busca de conseguir ganhar dinheiro com o blog. Enveredando por esse caminho você mesmo descobrirá suas dificuldades e necessidades, assunto que não abordarei aqui.

Ter e manter o foco seria o ato de você sentar para criar os conteúdos de seu blog e manter-se focado no que vai fazer. Atividades paralelas reduzem e comprometem a atenção e a produtividade. Uma música suave, a baixo volume é indicada, mas depende de cada um. Evite ambientes muito quentes ou frios demais, eles desviam o foco pelo desconforto que causam. Quando for criar conteúdos evite consultar o celular a todo instante, estar assistindo Netflix ou televisão. Sua atenção deve estar totalmente voltada para a criação, para que seu potencial intelectivo seja amplamente usado em prol da criação do conteúdo.

Organização – A organização começa pela sua vida, pelo seu estilo de viver. Eu escrevo desde 1999. Passei a escrever mesmo profundamente após me aposentar, porque aí tive mais tempo para me dedicar aos dois blogs que criei. Como criar conteúdo para um blog é algo que exige tempo, pesquisa, estudo, dedicação, você acaba por ter uma vida sedentária, fica muito tempo sentado pesquisando e escrevendo. Como fiz uma cirurgia na coluna e não posso ficar muito tempo sentado, criei uma rotina de trabalho como blogueiro.

Logo pela manhã, após o desjejum, saio para praticar exercícios físicos ao ar livre. Por que não numa academia? Primeiro por que é saudável e recomendável que você tenha contato com a natureza. Ela estimula sua capacidade criativa, frutifica sua imaginação, recomendável particularmente ao poeta (o qual eu também sou).

Exercito-me ao ar livre por que fico o restante do dia dentro de casa, escrevendo, lendo, recluso num grande apartamento no qual moro sozinho. Procuro executar intervalos de tempo regulares, nos quais executo outras atividades nas quais não tenho que ficar sentado, como lavar louça, varrer a casa, arrumar os ambientes do apartamento, lavar e estender roupa, passar roupa, etc.

Logicamente que você tem outro estilo de vida, outras peculiaridades que caracterizam sua vida como trabalhar fora de casa, exercitar-se numa academia, escrever e postar seus conteúdos à noite, etc. O importante é que você não fique sedentário, que tenha uma atividade física na qual possa livrar-se do estresse e que sua mente possa ser estimulada pelo fato de não estar empenhada, por não estar empregada cognitivamente.

O restante do dia divido-me nas atividades de criação de conteúdo (pesquisa e leitura) segundo o assunto escolhido; montagem de post segundo o modelo de roteiro de conteúdo; definição de data e postagem prévia (agendamento) do conteúdo criado no blog; publicação oportuna nas redes sociais do post agendado anteriormente na estrutura interna e virtual do blog (plataforma WordPress); divulgação do conteúdo nas redes sociais; resposta aos comentários postados pelos leitores.

Não é pouca coisa a ser feita para o bom funcionamento do blog (imagine que eu faço isso para dois!) e mesmo assim não me considero um blogueiro de primeira linha e muito menos “top”, kkk. Procuro ser organizado para que aquilo que faço com amor gere frutos positivos na vida de meu público-alvo.

Ainda em relação à organização do trabalho de blogueiro. É necessário e fundamental que você crie pastas específicas em seu notebook ou microcomputador a fim de se organizar e não se perder ante tantos dados e meios necessários à criação de conteúdos e gerenciamento do blog. Aqui apresento as que criei, mas você poderá criar mais em função de suas necessidades e objetivos a atingir:

– Pasta de criação de posts;

– Pasta de imagens para posts;

– Pasta de banners;

– Pasta de criação de podcasts ou de vídeos;

– Pasta de conteúdos postados (por ano);

– Pasta de imagens postadas;

– Pasta de diversos.

A pasta de criação de posts é uma pasta destinada a criar os conteúdos. Nela mantenha o roteiro de criação de conteúdo (modelo), calendário editorial, relação de amigos do Facebook, e outros arquivos que julgar necessários ao trabalho de criação.

A pasta de imagens para posts é uma pasta onde deve armazenar as imagens que vai usar nos conteúdos. Tratarei sobre imagens mais adiante.

A pasta de banners é uma pasta destinada a armazenar os banners que você criar e usar nos conteúdos e na divulgação nas redes sociais. Eu crio banners para colocá-los como “call action”, ou seja, avisos ilustrativos que chamem o leitor a executar uma ação, que seja visitar o meu outro blog, compartilhar o conteúdo lido em suas redes sociais, ou para levá-lo a uma página específica do blog, com uma finalidade particular.

(exemplo de banner “call action”)

A pasta de criação de podcasts ou de vídeos é uma pasta destinada a armazenar os podcasts ou vídeos que você criou e irá usar nos conteúdos. Podcasts (arquivos de áudio) e vídeos são ferramentas poderosas na interação com o leitor. O primeiro facilita a vida do leitor por que ele pode ouvir o podcasts em qualquer lugar, não necessitando ficar sentado ou parado para “consumir” a informação; e o segundo é uma ferramenta de interação a qual exige o contato visual do leitor e sua permanência praticamente parado em um lugar. Tem que se avaliar qual dessas formas de interação lhe são mais adequadas e convenientes. Lembro que o podcast não exige muito meios para a sua criação, já o vídeo de certa maneira sim, pelo menos mais que o podcast.

Não deixe de criar uma pasta de conteúdos postados por ano. É necessário e fundamental esse controle para que você não recrie desnecessariamente conteúdos que já existem. Serve também para que atualize e reformule aqueles que já escreveu, republicando-os ou apenas fazendo a divulgação novamente nas redes sociais que participa.

Da mesma forma crie uma pasta de imagens postadas, com a mesma finalidade, de não repetir imagens em novos posts. Imagens repetidas gera desinteresse do leitor e demonstra falta de qualidade e dedicação do blogueiro na criação do conteúdo.

Uma pasta de arquivos diversos sempre é necessária em função de não ocupar o espaço de outras pastas com arquivos e planilhas que prejudicam a pesquisa e o trabalho diário do blogueiro.

Criação de conteúdo e imagens – O conteúdo é a alma de seu blog. Ele é a parte mais importante do seu blog e deve receber tratamento especial. O conteúdo representa o produto-final de todas as tarefas que você vai empreender como blogueiro. Será ele que despertará o interesse de seu público-alvo, que cativará sua motivação ao acompanhamento e interação contínuos. Eu só sigo ou acompanho aquilo que me é interessante, que pode agregar valor cognitivo ou psicológico a minha personalidade, e é dessa maneira que as pessoas que navegam na web pensam e agem.

Então defina bem e adequadamente sobre o que vai escrever e produzir. Escolha o assunto principal que seu blog abordará. Depois defina quais assuntos estão relacionados ao assunto principal (assuntos secundários) para que eles possibilitem a criação de vários conteúdos que “rechearão” e farão seu blog crescer.

Uma ação muito adequada é sentar-se a fazer aquilo que chamam de brainstorm (tempestade de ideias). Escreva numa folha de papel ou no próprio Word quais os títulos (assuntos secundários) que você poderá usar para criar conteúdos relacionados ao assunto principal de seu blog. No meu caso, por exemplo, eu tenho este blog (Sentimentos&Letras) que aborda assuntos sobre qualidade de vida, relacionamentos, saúde e bem-estar. São quatro assuntos relacionados entre si, todos estão sob a égide da qualidade de vida.

Digamos que você crie um blog sobre apenas um assunto, como moda jovem. A moda em qualquer idade está relacionada a comportamentos, tendências, preferências em função da faixa etária, lugar e clima, logo poderá criar títulos (conteúdos) que abordem estes assuntos (assuntos secundários).

Outro exemplo seria você criar um blog que fale sobre futebol. Para isso deverá pesquisar e estudar sobre as regras futebolísticas, conhecer os times, seus jogares atuais e antigos, os jogos que se realizarão, os campeonatos previstos e seus resultados, criar cônicas sobre o futebol, a vida particular de alguns jogadores mais famosos, etc. Sempre, sempre escreva somente sobre aquilo que pesquisou, estudou, para que seus conteúdos sejam fonte segura e confiável, aspecto fundamental no sucesso de um blog. Doravante os modelos de ferramentas (documentos) apresentados usarão um blog fictício chamado “fantasia” (baixar modelo de planilha de assuntos para conteúdo)

Como o conteúdo é a “alma” do blog, ele é o centro das atenções do visitante. Deve apresentar organização em sua estrutura, um bom layout (beleza estética, boa aparência). Use cores suaves e claras, na maioria das vezes, para cativar o leitor e deixá-lo confortável durante a leitura.

Para ajudar e facilitar a criação do conteúdo, crie um modelo de roteiro de conteúdo no qual deverão constar: introdução do assunto, desenvolvimento, conclusão, imagens, banners, e outras informações pertinentes. Essa ferramenta será disponibilizada mais adiante.

Na introdução do conteúdo, procure ambientar o leitor, esclarecendo-o sobre o que vai abordar, de forma clara e breve. No desenvolvimento fale objetivamente sobre o assunto em pauta, apresente dados estatísticos se houver, fale sobre experiências vividas ou conhecidas, cite autores se for o caso, torne o assunto interessante segundo seu ponto de vista, escreva com entusiasmo e grandeza de valor. Na conclusão destaque valores a serem observados, que possam trazer verdadeiros benefícios ao leitor e agregar-lhe valores práticos ou psicológicos, tornando sua vida melhor, mais saudável, e mais gratificante.

Sempre que possível, veja o trabalho de sua concorrência, como são suas postagens, se ela esqueceu de abordar algum título sobre o contexto do assunto (então faça um post e aborde-o). Aprenda com seus concorrentes, mas não copie deles, seja original.

Quanto ao emprego de imagens em seus conteúdos. Existe uma máxima muito antiga que diz: “Uma imagem vale por mil palavras…”. Procure inserir imagens em seus conteúdos entre os blocos de parágrafos, contudo imagens que sejam relacionadas – preferencialmente – ao (s) parágrafo (s) que a antecede (m), a fim de que haja relação íntima entre o texto e a imagem. Por que isso? Demonstração de coerência, organização, concatenação de ideias e qualidade no trabalho realizado.

Use sempre que possível fotos “free”, ou seja, fotos livres de direitos autorais, a fim de não ter problemas. Existem sites que oferecem imagens livres de direitos autorais, mas quando usá-las tenha cuidado por que muitos pedem que você declare no conteúdo a quem pertencem, e caso as use, não esqueça deste detalhe. Eu uso algumas imagens do acervo do Google, ou por vezes tiro fotos de objetos e paisagens em minha cidade para usá-las nos conteúdos. É uma boa solução a fim de evitar problemas.

Criação de ferramentas que auxiliem no gerenciamento do blog – Crie um modelo de roteiro para criação de conteúdo. Essa ferramenta se destina a ação de como você vai criar seu conteúdo, sua montagem passo-a-passo, onde ficará o título e subtítulos, a introdução, o desenvolvimento, a conclusão, onde as imagens serão alocadas, etc. O roteiro para criação de conteúdo norteará seu trabalho, servindo-lhe como uma “linha de montagem” dos parágrafos e imagens, bem como de outras informações pertinentes. (baixar modelo de roteiro de conteúdo)

Crie um calendário editorial. Essa ferramenta é muito importante e se destina a relacionar os títulos agendados e postados, o link que foi gerado pelo sistema após a criação do post e que você empregará na divulgação do conteúdo, a data da postagem, a palavra-chave empregada, o controle de publicação, etc. Ela serve também como controle para que você não crie conteúdos já existentes e perca tempo e trabalho. (baixar modelo de calendário editorial)

Crie uma relação de amigos do Facebook. Por que do Facebook?! O “face” é uma das redes sociais mais visitadas da web e sua presença nela é fundamental para a divulgação de seu blog e de seus conteúdos. Mas cuidado! O Facebook é uma rede social cheia de armadilhas, e cito a principal delas, que é o bloqueio de sua página e atividades segundo critérios nada justos. Já fui bloqueado várias vezes sem motivo, apenas por bel-prazer do algoritmo de censura da rede social. Então não se desespere em postar e divulgar seus conteúdos. Não faça o Facebook de seu “carro-chefe” em termos de rede social para a divulgação de seus posts. Eu uso o Facebook, o Google Mais (ou G+), o Tumblr, o Instagram, o Twiter, e a nova rede social conhecida como EFuturo (http://www.efuturo.com.br/saladeleitura).

Aqui algumas dicas em relação ao Facebook e outras redes sociais. Tenha muita paciência, perseverança e educação, em vista que nem todos querem consumir o conteúdo que você está oferecendo (publicando). Primeiro faça amizades com pessoas que potencialmente gostem do assunto principal de seu blog e possam consumir seus conteúdos. Lembre-se de não ofereça um prato de filé mignon a um vegano, jamais!

E vá colocando os nomes de seus amigos numa relação (planilha). Sempre que for compartilhar seus conteúdos marque-os, mas no máximo 50 deles, não mais do que isso por vez, caso contrário o algoritmo do Facebook te bloqueará. Quando for divulgar seus conteúdos poste na sua página e marque seus amigos, depois vá a cada grupo que você participa e que tem interesse no assunto de seu blog e poste lá. Aí você dirá: “Ah, mas isso vai dar muito trabalho Robert!”. Um pouco, mas evitará seu bloqueio sucessivo pelo algoritmo de censura. Antes ter esse trabalho ou ficar vários dias sem poder divulgar seus conteúdos. É uma forma muito testada por mim e aprovada. Ela é eficiente para que você não seja bloqueado injustamente pela alegação de estar fazendo SPAM.

Não divulgue em muitos grupos, escolha alguns, no máximo uns quinze ou dezoito e que tenham no mínimo oito mil membros cada um. Por que tantos membros? Se forem menos membros do que essa grandeza possivelmente você poderá ser bloqueado por estar postando em demasia no grupo (pelos próprios administradores do grupo), em vista que o grupo tem poucos membros e são poucos os conteúdos postados, tornando assim as suas postagens “excessivas”. Entendeu a sistemática? Poste apenas um conteúdo por vez e uma única postagem por dia. Mais do que isso você corre sério risco de ser bloqueado.

Procure interagir com seus amigos das redes sociais respondendo a seus comentários com atenção e respeito. Não fique chamando-os para conhecer seu blog a todo o momento. Use banners bem-humorados convidando-os a conhecê-lo, de forma serena e hilária. Eles não resistirão a um “sorriso virtual”, acredite.

(call action hilário)

Dicas interessantes para ajudar no funcionamento do seu blog

Os modelos de ferramentas aqui apresentados são tão somente sugestões. Você poderá usá-los e deverá fazer as adaptações necessárias segundo a natureza do assunto e dos conteúdos que vai abordar e criar para o seu blog.

Não tenha a mínima pressa em obter bons resultados. Ser blogueiro é atividade que requer muita paciência, perseverança e otimismo. Um blog somente começa a ter uma boa audiência após um ano de vida ou mais, dependendo do assunto que aborda e de seus conteúdos; quando tem mais de 100 (cem) posts publicados; quando já tem relativa visualização nas redes sociais (já é conhecido pela qualidade dos conteúdos); quando tem uma boa quantidade de assinantes e visitantes e aborda assuntos interessantes e bem escritos.

Tudo que for inserir no blog e apresentar ao leitor, que envolva ações da parte dele, deve ser testado previamente. Sempre faça testes, sempre, para verificar se tudo está funcionando como esperado e desejado. Isso demonstra profissionalismo e qualidade em seu trabalho e respeito ao seu leitor.

Escrever bem exige um bom conhecimento da ortografia e gramática brasileiras. Escreva corretamente, sempre. Procure escrever como se estivesse falando com alguém, logo faça pausas, use parágrafos, pontos, vírgulas, imagens. Use e abuse de sinônimos. Use e abuse do dicionário, se tiver dúvida sobre uma palavra, por mais simples que ela seja não hesite em consultar o dicionário; não use termos ou palavras que ouviu falar e desconhece seu significado. Não encha “linguiça” de seus leitores com ideias impróprias ou não pertinentes ao assunto abordado, que depreciem a qualidade de seus conteúdos. Seja coerente, objetivo, claro e escreva com propriedade, com conhecimento de causa. Sempre que usar um termo pouco usado ou desconhecido, escreva entre parênteses o seu significado, isso demonstra atenção e respeito com o leitor.

Escrever com propriedade significa escrever sobre aquilo que se sabe. Não escreva sobre paraquedismo se nunca saltou de paraquedas. Não escreva sobre churrasco se você é vegano. Não escreva sobre academia, malhação se não sai de trás do computador para se exercitar. E por aí vai.

Para criar conteúdos interessantes pesquise, pesquise muito e escreva com sabedoria e clareza. SEMPRE QUE TERMINAR O CONTEÚDO RELEIA-O TODO, REVISANDO-O INTEGRALMENTE. Frequentemente escrevemos algo errado, frases mal construídas, ou parágrafos muito extensos e pouco inteligíveis. Essa é a hora de corrigir, de lapidar a sua criação, de dar-lhe um toque de qualidade e grandeza. Então esmero e dedicação. Boa sorte é o que lhe desejo!

Robert Thomaz

Você também pode gostar desse post:

Menopausa: A importância do homem nessa fase da mulher


Robert

Robert Thomaz é escritor, poeta, autodidata, pesquisador, blogueiro. Dedica-se ao estudo e pesquisa de assuntos relativos à qualidade de vida, relacionamento intrapessoal, relacionamento interpessoal, saúde e bem-estar.

Website: http://sentimentoseletras.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.