Conheça sete dicas que podem fazer uma mulher gorda feliz

gorda

Tomemos como exemplo o artista colombiano Fernando Botero que foi para Florença estudar o período renascentista. De seu aprofundamento artístico no referido período, ele criou um estilo único conhecido como “boterismo” no qual encontramos esculturas que retratam que o ideal de beleza da época renascentista eram mulheres e homens rotundos e pesados, cavalos musculosos, e uma profusão de detalhes como flores, animais e frutas. Em síntese, percebemos que já houve um período histórico em que a mulher gorda era admirada e valorizada, tanto nas esculturas como nas telas artísticas.

 

 

 

 

 

 

 

Ao longo de décadas, com o avançar da ciência, medicina e tecnologia surgiram novos meios de se corrigir imperfeições estéticas através de cirurgias, maquiagem, exercícios físicos localizados e tantos outros métodos eficazes que tornaram a mulher, bem como o homem, mais belos e atraentes aos olhos do sexo oposto como também aos próprios olhos.

Nesse avançar científico, a moda visando atender aspectos como harmonia, caimento, leveza e suavidade priorizou uma silhueta feminina delgada, esquálida, e desse suposto “padrão de beleza feminina” adotado nas passarelas derivou-se um padrão internacional de beleza para a mulher. Esse novo e forte padrão de beleza foi endossado pelas indústrias produtoras de roupas e calçados, que passaram a confeccionar números (manequins) cada vez menores, e também a reduzir a produção de números maiores.

Nesse contexto preconceituoso o homem, silenciosa e indiretamente, aderiu ao novo padrão de beleza passando a preferir mulheres muito mais magras para suas conquistas amorosas e matrimônio. A mulher gorda passou a ser vista como algo desarmônico na sociedade, à semelhança do negro, do cadeirante, do indivíduo feio. A gorda passou a ser alijada, a ser menosprezada até pelas demais mulheres, particularmente aquelas que eram e se julgavam dentro do novo padrão de beleza.

 

 

 

 

 

 

 

A mulher gorda se importa com a aprovação masculina e sofre com a reprovação de sua classe. Não deveria. Enfatizo, não deveria, afinal se você é gorda, lembre que toda mulher, toda, tem curvas, dobras e muitas delas (milhares) tem celulite. Aquelas que dizem que não tem ou que nunca tiveram, têm feridas na consciência e isso qualquer homem maduro descobrirá não tardiamente.

A mulher gorda não deve mergulhar na melancolia, não deve se entregar à tristeza ou a dor causada pelos olhares, cochichos e observações maldosas de pessoas com as quais tem contato. A mulher gorda não é doente, defeituosa, porca e muito menos insensível. Ela tem coração como as outras, sentimentos, emoções e desejada ser amada como qualquer uma.

A mulher gorda tem muito a oferecer. É preciso que ela mesma reconheça suas potencialidades, seus valores maiores, e depois disso faça uma análise do que pode fazer (e pode muito).

Embora exista a tão conhecida “ditadura da magreza” podemos ver que esse instituto desumano vem sofrendo baques em sua carapaça. As modelos plus size estão cada vez mais avançando no mundo da moda e a demanda vem aumentando mês a mês. Essa ação de inserção social da mulher gorda é altamente positiva e deve ser reforçada por todos os segmentos da sociedade.

E tem um fato muito importante e motivador que gosto de salientar: Existem homens (e não são poucos) que AMAM uma mulher GORDA e tudo que ela pode lhe proporcionar.

Para uma mulher gorda sentar-se confortavelmente numa cadeira, usar uma calcinha um pouco mais justa, passar numa roleta de ônibus ou simplesmente afivelar o cinto de segurança do carro não é coisa nada simples de fazer. E nem por isso ela não deve pensar em ser infeliz. Tem mulher gorda que sabe viver muito bem com essas dificuldades e leva uma vida incrível, cheia de sabor, alegria e felicidade. Mas qual a fórmula desse tipo de vencedora?

A mulher gorda faz sexo e muito. Ela têm problemas como as mulheres magras, todas as mulheres têm. Porém, a gorda no sexo é mais dedicada, mais carinhosa, compreende e tenta fazer o homem que está ao seu lado feliz em plenitude. Ela tem e proporciona prazer. Ser boa de cama não tem implicação profunda com o peso.

É nesse ponto que o caminho percorrido pela mulher gorda se difere da mulher magra no sentido das possibilidades. No caminho onde a gorda caminha normalmente a magra nem pode pensar em pisar. Mas que caminho é esse?

É o caminho emocional, psicológico. A mulher gorda é sensível pelo fato de ser uma pessoa, infelizmente, segregada pela sociedade. O isolamento social que lhe é imposto desperta-lhe a sensibilidade, a capacidade sensorial de saber aquilo que agrada ao homem, que o torna feliz. E o que torna um homem feliz não é um corpo magro, de ossos expostos, mas sim um coração candente, que lhe compreende, que lhe agrada, que lhe é a companhia ideal nos momentos de tormenta em sua vida.

O sexo é um conjunto de ações e fatores complexos em sua natureza. A mulher gorda não deve pensar que sua maneira de fazer sexo é ruim ou dificultada por seu peso. De maneira alguma. O sexo para uma mulher gorda é como o sexo para as demais mulheres com algumas pequenas diferenças.

Sua “deficiência” não está no peso e sim em sua autoestima esfacelada pelos padrões de beleza atualmente impostos e por aquelas pessoas que a colocam para baixo, fazendo-a acreditar que a configuração de seu corpo torna-a menos especial do que uma mulher magra.

Uma mulher boa da cama é uma mulher feliz com ela mesma, segura de si, de sua maneira de agir. É uma mulher consciente de seus poderes de seduzir dentro e fora da cama, seja pelo carinho, pela atenção, pela compreensão e apoio.

Desculpe-me, mas idiota de quem pensa que o sexo não é uma extensão física de nossas emoções, sentimentos e atos afetuosos fora da cama para com o nosso parceiro. O sexo começa antes e fora da cama.

No sexo não é fundamental o tamanho que as pessoas vestem e nem sua aparência. Importa a ação, o desejo, a pegada, a avidez, a participação que temos na relação e no prazer que proporcionamos ao nosso parceiro. Mulheres gordas conhecem bem esses aspectos e como usá-los a seu favor.

Benefícios que este assunto pode proporcionar ao leitor

Uma das maiores e mais preocupantes insatisfações da mulher gorda é justamente com seu corpo na hora do sexo. Esse momento é um dos maiores e mais dolorosos segundo pesquisas já realizadas. Ela acredita que seu físico seja o maior dos vilões de sua satisfação e de seu prazer.

Existem algumas dicas importantes que podem reverter esse quadro de insatisfação e desânimo. Para sermos objetivos e não nós perdermos numa lista de fatores, vou focar na barriga que representa esteticamente o principal obstáculo para a mulher gorda segundo a maioria delas.

A seguir sete dicas que ajudarão as mulheres gordas a superar esse fantasma que só existe dentro de suas maravilhosas cabeças:

1ª) Muitas pessoas e  particularmente homens acham que sexo precisa de fantasia, de espartilho, máscara e coisa e tal. Se gostam tanto de acessórios que façam sexo com eles. Nada de usar espartilho ou fantasia sexual para agradar. Você não tem direito? Tem, claro que tem, mas veja se isso vai ferir mais você do que o homem que você vai se relacionar. Que ele faça sexo pela pessoa que você é, e não pela fantasia que ela pode representar. Use uma camisola insinuante e sensual, mas que você se sinta bem e confortável.

2ª) Ficar nua diante do homem que você vai fazer sexo, ser tocada, acariciada, observada faz parte do sexo. Nada de constrangimento ou vergonha diante dele e muito menos diga: “Olha não repare… eu estou um pouquinho fora do peso… sabe como é…”.

Nunca diga isso. Corta o tesão do homem. Ele está ali não tão somente por seu corpo, mas pelo que você é para ele fora da cama, como amiga, companheira, mulher que o apoia e o ajuda no viver.

3ª) As trevas abortam qualquer sexo e a luminosidade também. Um excelente ingrediente é a penumbra. Ela oculta formas e contornos e ainda desperta o desejo, a sedução. A penumbra é sexy. Comece o sexo colocando o ambiente a meia-luz. Esse é um bom ponto de partida.

4ª) A barriga não vai escapar de seu corpo e nua não lhe será possível escondê-la. Procure deitar na cama antes dele, fazendo-se de sexy. A gravidade não te atrapalhará e deitada a barriga se reduz. E trabalhe, ensope o sexo de carinho, palavras sensuais e carícias um tanto ousadas.

5ª) Não fique no papai-mamãe somente, mas nada de querer fazer estripulias que só te frustrarão no sexo. Como variante da posição deitada acima, gire e deite-se de lado, sugerindo o sexo em conchinha. Ele nem vai ver nada, somente seus cabelos e seu doce gemido.

6ª) Use um perfume ou um batom que ele particularmente já disse que gosta. Isso tem grande efeito sobre o desejo de um homem, bem como inicie a relação por carícias e olhares, isso atrai a atenção e é a atenção dele que você deseja. Que ela esteja dentro de você e voltada para você.

7ª) Procure relaxar, fazer suas ações com naturalidade, sem demonstrar insegurança ou falta de habilidade na cama. Seja natural e permita que ele te possua. Afinal vocês estão ali para se amar, trocar a química e serem ser agraciados com o prazer.

Robert Thomaz

Você também pode gostar desse post:

“Saiba por que a reeducação alimentar nos emagrece com saúde

Robert

Robert Thomaz é escritor, poeta, autodidata, pesquisador, blogueiro. Dedica-se ao estudo e pesquisa de assuntos relativos à qualidade de vida, relacionamento intrapessoal, relacionamento interpessoal, saúde e bem-estar.

Website: http://sentimentoseletras.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.