Porque Negar o Passado se Ele faz parte de Você?

Temos o hábito, o costume de negar, de esconder, de tentar esquecer aquilo que nos é desagradável, que ocorreu no passado e que não desejamos que esteja vivo, atuante em nosso presente.

Negar o passado

E porque negar o passado se ele faz parte de você?

Mecanismos de Defesa Emocional

A atitude de negar o passado tem dois ramos distintos no contexto psicológico do ser humano.

Equilíbrio Emocional Interno

O primeiro deles seria que o indivíduo oculta fatos e atos de seu passado no sentido de promover sua própria defesa interna. Ele busca não recordar seus erros, falhas, defeitos e ações condenáveis na busca de alívio mental e espiritual, de modo a desonerar sua frágil consciência e prosseguir na busca da serenidade, do amor e da felicidade.

Negar o passado (2)

O ser humano age desta forma porque dentro de sua mente, que busca constantemente o equilíbrio, existem forças opostas que procuram o domínio de sua vontade, de sua maneira de ser e agir.

Quando uma destas poderosas forças mentais se sobrepõe a outra ocorre o controle da parte vitoriosa. Se esta parte for boa, de viés harmônico e íntegro, o indivíduo será uma pessoa boa, de caráter imaculado e de comportamento correto. Ele será bem visto no contexto do grupo no qual está inserido e bem aceito pelo mundo que o cerca.

Equilíbrio Emocional Externo

O segundo seria aquele em que o indivíduo “esquece” seu passado visando a sua legítima defesa externa. Ele procura ocultar, ao máximo, suas falhas e ações condenáveis do passado, segundo as convenções sociais, porque elas o tornam pessoa malquista, indesejável, que não conta com a afinidade e simpatia da grande maioria da sociedade.

Negar o passado (3)

Esse providencial “negar o passado” é praticado visando à harmonia interior e principalmente externa.

Negar o passado é uma necessidade psicológica que deve ser dimensionada e controlada. Não se deve simplesmente esconder o passado, sepultá-lo na busca de plena e irrestrita aceitação. Embora se deseje negar as falhas e ações condenáveis do passado elas são parte inerente e fundamental no equilíbrio de consciência do indivíduo, de sua harmonia interior.

Deve-se por um lado “esquecer” o que se cometeu de errado e que causa desconforto, desagrado, contudo deve-se manter esse lado obscuro “vivo” em vista que ele sustenta o lado positivo que o indivíduo possui.

Tentar esquecer ou tentar suplantar um fato que causou desgosto ou desconforto no passado seria o caminho mais coerente a se adotar para uma boa qualidade de vida. A princípio essa seria a maneira mais lógica de buscar uma vida saudável, entretanto, a existência do “fato negro” se faz necessária para sustentar os fatos positivos que compõem a personalidade estável e equilibrada do indivíduo.

Por analogia, se uma mulher bonita acha que suas pernas são a parte de seu corpo que lhe deixa feia, apesar deste pensamento, ela jamais poderia pensar em cortá-las (ocultá-las, fazer como se não existissem) porque a ausência das pernas consideradas feias tornaria esta bela mulher num ser cadeirante, prejuízo muito maior não somente a sua beleza, mas a sua existência.

Negar o passado (4)

Por que não Devemos Negar o Passado

Uma pessoa aparentemente equilibrada, de caráter íntegro, mas sem passado é como uma árvore frondosa, porém sem raízes. Ela sempre tenderá a tombar, a ruir diante de qualquer vento ou empurrão acidental.

Negar o passado (3)

Não negue seu passado em vista que sem ele você não é nada, não é ninguém. Negar o passado não é nenhuma virtude, mas também expô-lo gratuitamente a opinião alheia não é nada favorável à felicidade, à paz e à harmonia interna e externa.

Não sinta vergonha e nem encare como fator humilhante sua origem, sua condição social passada, seu grau de escolaridade baixo, suas falhas na educação, seus fracassos no passado. Somos feitos, fundamentados e estruturados no passado e não exclusivamente no presente.

Aprendemos com nossas experiências e embora sejam ruins, nada se é perdido com elas. Elas fazem parte do alicerce de nosso assoalho mental. Fracassos e derrotas, erros e falhas fazem parte e são necessários ao nosso equilíbrio mental. Fazem parte de nossa vida porque nos dão suporte, respaldo, segurança para enfrentarmos as dificuldades do presente e do futuro.

Como não Negar o Passado que contém Falhas

Não tente ser outra pessoa. Não tente ser quem você não é e nunca será. Sempre sentirão que existe algo de falso em você, em seu caráter, em seu comportamento.

Negar o passado (6)

Não negue o passado se ele lhe desagrada ou envergonha. Procure segregá-lo. Caso seja necessário divulgar seu teor, não tenha medo ou entre em pânico com medo de perder o amor ou confiança daqueles que ama ou o cercam.

Seja sincero, demonstre que não desejava mostrá-lo devido ao desconforto que lhe causa e não para enganar as pessoas que ama e estima.

Procure sentir-se orgulhoso dele, mesmo que lhe desagrade no fundo da consciência, em vista que ele representa os alicerces de tudo que você é no presente.

Seja você mesmo, com seus erros, fracassos e decepções do passado, e sinta-se orgulhoso e importante do que é no presente, sendo digno de tudo e de todos.

Negar o passado (7)Negar o passado (8)

Robert  Thomaz

Banner Compartilhamento II 300x120

Robert

Robert Thomaz é escritor, poeta, autodidata, pesquisador, blogueiro. Dedica-se ao estudo e pesquisa de assuntos relativos à qualidade de vida, relacionamento intrapessoal, relacionamento interpessoal, saúde e bem-estar.

Website: http://sentimentoseletras.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.